Desratização: controle de roedores

Ratos, ratazanas e camundongos são os roedores conhecidos como pragas urbanas. Destes a espécie mais problemática é Rattus rattus, o rato preto ou rato de telhado. Isto porque eles se proliferam muito rapidamente nas cidades e são vetores de uma série de doenças como leptospirose, peste bubônica ou peste negra, tifo, febre da mordida do rato, hantavirose, sarnas e alergias. O controle de roedores através da desratização é fundamental para minimizar esses riscos.

 

Controle Integrado de roedores 

Para que seja efetivo o controle de roedores devem seguidas todas as etapas do Controle Integrado de Pragas associadas ao saneamento e higienização da área para evitar fatores de favorecimento à praga. No procedimento de desratização deve-se fazer a identificação dos pontos problemáticos. Além disso deve-se levar em consideração as proximidades do local a ser desratinizado, pois na maioria das vezes, há fatores de riscos que dão indícios das invasões por ratos, sejam elas constantes ou intermitentes. Devemos lembrar que os ratos são animais de hábitos sociais, isto quer dizer que dificilmente andam sozinhos. Quando se imagina ter apenas um rato num determinado local, pode haver uma colônia de ratos com centenas a milhares de indivíduos.

Etapas da desratização

•    Inspeção – Levantar o máximo possível de informações sobre o problema (grau de infestação; problemas causados; tipos de ambientes; uso que é dado a esses ambientes; extensão física da área).
•    Identificação – Identificar corretamente o agente da infestação (praga), (ratos de esgoto, ratos de telhado e camundongos) e focos existentes na área.
•    Definição da estratégia – Após ter identificado qual o tipo de roedor, o operador irá atuar no combate e controle de forma mais direcionada.

•  Produtos utilizados na desratização 

Pellets

•    Apresentação do produto: Pequenos granulados em forma de cilíndricas com colorações variadas.
•    Local de aplicação: Ambientes fechados, protegido de umidade.
•    Dosagem recomendada: 1(um) a 2(dois) saches a cada 10 m.
•    Obs.: O sache devera ser aberto.

Granulados

•    Apresentação do produto: Pequenos granulados de diversos cereais com colorações variadas.
•    Local de aplicação: Ambientes externos ou internos.
•    Dosagem recomendada: 1(um) a 2(dois) saches a cada 10 m.
•    Obs.: Os saches deverão ser abertos.

Blocos

•    Apresentação do produto: Blocos no formato de triangular ou retangular com colorações variadas.
•    Local de aplicação: Ambientes externos ou internos.
•    Dosagem recomendada: Colocar de 1(um) a 2(dois) blocos a cada 10 m lineares.
•    Obs.: Os blocos deveram ser devidamente amarrados.

Pó de contato

•    Apresentação do produto: Em forma de pó.
•    Local de aplicação: Ambientes externos ou internos em tocas, esconderijos, caminhos.
•    Dosagem recomendada: Camada aproximadamente de 8 cm de largura sobre a superfície freqüentada pelo roedor.
•    Obs.: Para melhor eficiência em tocas ou esconderijos o produto poderá ser aplicado com a polvilhadeira.

Periodicidade no controle

1º Aplicação: Realizar vistoria 10 dias após aplicação.
2º Aplicação: Realizar a 2º aplicação caso encontre indícios no local.

Monitoramento

Caso haja aceitação do produto (iscas) pelos roedores será o sinal de que a eliminação dos roedores foi bem sucedida; avaliação dos resultados dependerá também de medidas preventivas incluindo destinação de lixo, remoção de entulhos, dentre outros). Não obtendo resultado refazer a 1ª aplicação, reiniciando assim o trabalho. Procurar possíveis falhas no processo.
 

Métodos para desratização

•     Isca Parafinada - ideal para locais externos (ralos, jardins, dentre outros). De gosto extremamente amargo é de difícil ingestão para o ser humano, mas para os ratos é fatal levando-os a morte por hemorragia interna.
•    Isca Granulada - tem a mesma finalidade da parafinada, porém deve ser usada em locais internos (forros, telhados, garagens, dentre outros). Mata o rato também por hemorragia interna.
•    Pó químico -  apesar dos ratos viverem também em esgotos eles são mamíferos muito limpos, sempre estão se lambendo como forma de higiene pessoal. Nosso produto em pó é aplicado nas tocas onde os ratos circulam e se encostam. Quando o rato se lambe ele entra em contato com o pó que o leva à morte.
•    Armadilhas adesivas - São placas plásticas recobertas com superfície de cola adesiva, que servem para capturar e monitorar pontos críticos nas áreas.
•    Iscas cereais - mistura de fortes atrativos com produtos diversos efeito rápido e limpo.
•    PPI - Ponto Permanente de Iscagem – Porta iscas de material plástico resistente fixado com parafusos junto ao piso e, são abertos com chave especial que ficam de posse da Biocontrol. Servem para proteger as iscas de intempéries e são numeradas e mapeadas.
•    Porta iscas de jardim - Coberturas plásticas com suporte metálico que são fixados ao solo. São colocados em pontos estratégicos protegendo as iscas de chuvas e sol.
•    Portas iscas de parede - Coberturas plásticas que são fixadas em paredes a 10 cm de altura do piso. São colocados em pontos estratégicos protegendo as iscas de chuvas e sol.

Considerações

•    O uso de raticida deve ser racional, visando respeitar a saúde humana e o meio ambiente.
•    Operador não deverá manusear o produto sem o uso do EPI.
•    As embalagens vazias dos raticidas são acondicionadas no depósito até a destinação final.
•    Após o manuseio do produto, lavar as mãos com água e sabão.
•    Em caso de ingestão, procurar um Posto Médico.

Para saber mais sobre roedores acesse: https://www.sanitas.com.br/noticias/dedetizacao/controlar-roedores