Ratazanas

 

 

Os roedores são mamíferos da ordem Rodentia. Existem cerca de 2000 espécies nesta ordem que inclui animais como capivaras, esquilos, cutias, hamsters e diversas espécies de ratos. Incluem-se nesta ordem animais classificados como sinantrópicos*, considerados pragas urbanas, sendo eles: a ratazana (Rattus norvegicus), o rato-preto ou rato de telhado (Rattus rattus) e o camundongo (Mus musculus).

Rattus norvegicus é conhecido popularmente como ratazana ou rato castanho. Pode ser encontrado isoladamente, mas em alguns casos pode ocorrem no mesmo ambiente com outra espécie Rattus rattus. As ratazanas despertam o medo nos camundongos, já que servem de alimento para esta espécie.

É a maior das espécies de ratos encontradas em áreas urbanas. Os adultos tem cerca de 20 a 25 cm de comprimento, pesam de 250 a 350 g, mas podem chegar à 1000 g. A cauda pode atingir o comprimento corporal ou pode ser levemente mais curta, possui orelhas curtas, pelo áspero e cinzento a acastanhado. As patas apresentam curtas membranas entre os dedos, também chamadas de membranas interdigitais. Estas membranas são uma adaptação ao nado.

As ratazanas possuem alta capacidade auditiva e olfato bem desenvolvido. A visão é pouco desenvolvida, entretanto percebem muito bem a luz azul (devido à grande quantidade de receptores de radiação ultravioleta), diferentemente de muitos mamíferos.  

As espécies do gênero Rattus são muito sensíveis às mudanças no ambiente que os cerca. Levam dias para consumir alimentos que rotineiramente não estavam naquele lugar.

A partir desta espécie, através de modificações genéticas, foram produzidas muitas variedades de ratos, como os ratos brancos de laboratório, onde foram selecionadas características recessivas para o albinismo. Também foram desenvolvidas outras variedades de ratos de estimação.

O lixo acumulado é um dos principais fatores que atraem este tipo de praga. Esta espécie é atraída para lugares como lixões e lugares onde o lixo é destinado ou armazenado de forma incorreta onde é a farta oferta de alimentos. São animais noturnos, dificilmente saindo do ninho durante o dia, somente em alguns casos extremos como falta de comida para os indivíduos da colônia. Tem hábitos alimentares bastante variados, consomem desde grãos, cereais a pequenos insetos, sendo por tanto omnívoros. Preferem alimentos frescos à fermentados ou estragados.

Como o aumento de problemas urbanos, como a favelização e falta de gerenciamento do lixo, ou seja, disposição, armazenamento e destinação final inadequados, há um proliferação excessiva destes roedores. Este tem a disposição deles, água, abrigo e alimento em abundância.

Alguns fatores indicam a infestação em maior ou menor escala por roedores, sendo eles: trilhas, manchas de gordura em vários locais que são causadas pelo atrito do corpo do animal com a superfície ou parede, roeduras em diversos pontos, tocas ou ninhos e a visualização de ratos.