Diversas pragas são conhecidas como pragas-de-grãos, com destaque para espécies das ordens Coleoptera e Lepdoptera. Elas atacam os grãos no campo principalmente durante o armazenamento destes. Nas áreas urbanas atacam grãos (desde cereais como milho, trigo até frutas secas) em dispensas e armários, assim como produtos processados (massas, biscoitos, torradas). Nestas espécies o ciclo de vida é completo (ovo-larva-pupa-adulto).

Lasioderma serricone pertence à Ordem Coleoptera, esta espécie é conhecida como caruncho. O inseto possui coloração avermelhada e formato ovalado,  adquire aspecto convexo, depois de dobrar sua cabeça e recolher as pernas.

Sitophilus oryzae pertence à Ordem Coleoptera, esta espécie também é conhecida como caruncho. Assim como a outra espécie, ataca grãos armazenados e produtos processados. Apresentam o corpo alongado e rostro (apêndice rígido existente na região frontal dos insetos) prolongado muito característico, com aparelho mastigador bem desenvolvido. Apresenta ciclo de vida completo.

Tribolium casteneum pertence à Ordem Coleoptera é outra espécie conhecida como caruncho. Possui corpo achatado com depressões trasnversais e pronoto (parte dorsal do primeiro segmento do tórax dos insetos) retangular. São pragas secundárias, isto quer dizer que dependem de outras pragas para se instalar nos grãos. Mas nem por isso os prejuízos que podem causar são menores ou contrário provocam danos ainda maiores que pragas primárias.

Plodia interpunctella pertecem à Ordem Lepidoptera, conhecida por mariposas-de-cereais, traça-dos-cereais. A infestação por esta praga pode ser reconhecida pela grande produção de seda.

O monitoramento é parte fundamental do controle das pragas. Pois através do monitoramento é possível controlar as pragas para não atingirem níveis populacionais que caracterizem uma infestação, evitando aplicações desnecessárias de praguicida. Uma das etapas de monitoramento mais Importantes é a vistoria visual, que contempla tanto localizar danos nas estruturas (que facilitem o abrigo dos insetos) quanto problemas na limpeza. Deve ser realizado por um técnico especializado que deve inspecionar tanto o ambiente quando as máquinas e produtos. O método mais utilizado e eficaz é através das armadilhas de feromônios. As armadilhas luminosas não são específicas para pragas de grãos, podem capturar qualquer tipo de organismo, sendo necessária a triagem após a captura demandando mais tempo que outros métodos.

            Quanto aos tratamentos a serem aplicados nos grãos que estejam infestados o mais eficiente é o expurgo com gás. Contudo só é permitido esse tipo de tratamento com produtos registrados.  Nos casos onde não há registro deve-se realizar o tratamento químico somente no ambiente, associado ao monitoramento focando a eliminação dos focos.

 

Literatura consultada

 

APRAG 2016. Manual de controle de vetores e pragas sinantrópicas. São Paulo: APRAG ed. 319p.