Brocas x cupins: é fácil confundir?

Muitas pessoas confundem brocas com cupins. Isso porque ambos consomem celulose, ou seja, objetos de origem vegetal, como móveis, papeis, portas, objetos de madeira, entre outros. Ambos produzem um pozinho sendo o pó produzido pelo cupim em forma de grânulos que são as fezes do cupim. Já as brocas produzem um pó mais fininho. Outra diferença é que as brocas são besouros (ordem Coleoptera) e os cupins são de outra ordem (Isoptera).

Brocas e suas larvas

Os besouros fêmeas depositam centenas de ovos, para isso escavam a madeira ou podem utilizar as frestas já existentes. As lavras são muito vorazes, e ao eclodirem começam a escavar galerias na madeira, surgindo um pó bastante fino. Quando este pó não aparece mais indica que a larva se transformou em pulpa e logo em seguida surge um besouro adulto que irá recomeçar o ciclo. Por tanto não é o besouro que consume a madeira e sim a sua larva, diferentemente do cupim que come a madeira na fase adulta. As brocas não causam muitos danos à madeira como os cupins. Contudo se o controle não for realizado ao longo dos anos o objeto virará pó. Atacam preferencialmente objetos de vime, bambu, fibras naturais e algodão.

Controle de brocas

O primeiro passo para o controle das brocas é a identificação da espécie envolvida. Além disso é necessário de avaliar a dimensão da infestação,  sendo realizada também uma análise das condições estruturais da área afetada e seu o acesso. Tendo todos esses dados levantados é possível definir a melhor estratégia (melhor produto e técnica mais adequada) que visará uma resolução mais eficaz e sustentável.