19 Aug

Rio de Janeiro em alerta: Doença do pombo

A situação é grave. Após a confirmação de duas mortes em Santos, no litoral de São Paulo, devido à doença do pombo, a câmara municipal  aprovou o projeto de lei que obriga proprietários de imóveis residenciais e comerciais a instalarem mecanismos para impedir  os pombos de fazerem ninhos em suas propriedades. A mesma proposta  prevê a multa para quem estiver alimentando os pombos. 

Com essas mortes em Santos, o Rio de Janeiro também deve ficar em alerta, já que a doença é transmitida por pombos que voam sendo fácil a dispersão para áreas vizinhas. Neste artigo buscamos informar a população sobre os pombos, o que é a doença do pombo, como ela é transmitida e como podemos evitar. 

Pombos nas cidades

Pombos são as aves que mais se adaptaram a viver nas cidades. Fazem seus ninhos em telhados, beirais, marquises, forros, caixas de ar condicionado e em outros lugares que encontrarem as condições para se instalarem. Suas fezes tanto podem causar prejuízos estruturais para as edificações, equipamentos, tais como câmeras de filmagem,  causam a obstrução de calhas, e dutos de ventilação, sujam áreas públicas e privadas, contaminam alimentos como cerais e podem causar doenças para outras aves domesticas e para o ser humano. Uma delas é criptococose, conhecida como doença do pombo.  

O que é a Doença do pombo?

A doença divulgada pela internet que causou 2 mortes em São Paulo é a Criptococose.  Essa é causada por um fungo encapsulado (Cryptococcus neoformans). Esse fungo é capaz de colonizar a mucosa do papo destas aves sem causar a doença, ou seja é assintomática, sendo um parasita natural dos pombos.  

Como a Doença do pombo é transmitida?

O fungo (Cryptococcus neoformans) é encontrado em fezes de pombos. Isto quer dizer que qualquer local onde os pombos evacuem podem ser infectados pelo fungo, desde solo, troncos e galhos de árvores e também em edificações como beirais, marquises, caixas de ar condicionado e qualquer tipo de local em que o pombo se instale e faça ninhos.  O ser humano pode se contaminar com o fungo pelo contato direto com o pombo ou pela inalação de ar. As fezes secas se misturam com a poeira do ar e acabamos inalando. 

Doença do pombo: imagem de três câmeras de filmagem com fezes e um pombo pousado na do meio.
A Doença do pombo é transmitida através das fezes e do contato direto com os pombos.

Porque controlar a superpopulação de pombos é tão difícil nas cidades

O controle dos pombos é bastante difícil nas cidades. Existem diversos fatores envolvidos:

  • Pombos são o símbolo da paz. Muitas pessoas se sensibilizam com a presença deles em praças, gramados, nas calçadas e outros lugares públicos e acabam dando comida a esses animais. Isso faz com que eles retornem sempre ao mesmo lugar para buscar comida. Também procuram locais próximos para fazer seus ninhos e se reproduzir.  
  • Pombos se reproduzem muito rapidamente.  Realizam postura de ovos de 4 à 5 vezes por ano, com alta taxa de natalidade.  
  • Eles não tem predadores naturais nas cidades para manter o número populacional em equilíbrio, isso faz como que os pombos aumentem a sua população rapidamente. 

Como podemos evitar Doença do pombo?

  • Fazer a remoção periódica de ninhos e ovos;
  • Usar luvas e máscaras (pode ser pano úmido para cobrir o nariz e a boca) na hora que for fazer a limpeza do local onde estão as fezes;
  • Umedecer as fezes dos pombos com desinfetante antes de varrê-las;
  • Vedar buracos ou vãos entre paredes, telhados e forros, com a finalidade de evitar que os pombos façam seus ninhos;
  • Telar em varandas, janelas e caixas de ar condicionado, usar grampos e objetos metálicos pontiagudos em beirais para evitar que os pombos pousem;
  • Não  alimentar os pombos.

Outras doenças que os pombos podem causar

  • Histoplasmose
  • Ornitose
  • Salmonelose

É proibido matar Pombos!

A Lei ambiental (Lei Ambiental Nº 9605/98) proíbe o extermínio de pombos assim como causar sofrimentos a estes animais, podendo a pessoa física ou jurídica que cometer esse crime sofrer sanções penais e administrativas. 

Pombos são animais exóticos. Sendo assim capturar pombos que vivem nas cidades e solta-los em ambientes naturais é proibido por lei. Da mesma forma pessoas ou empresas que cometerem esse crime estão sujeitas a sofre sanções penais e administrativas. 

Sites consultados:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/238_pombos.html

A matéria citada neste artigo pode ser visualizada na íntegra na Folha de São Paulo: https://agora.folha.uol.com.br/sao-paulo/2019/08/apos-duas-mortes-lei-proibe-dar-comida-a-pombos-em-santos.shtm.

Literatura consultada:

SEABRA, E. C. M. & OLIVEIRA, E. 2016. Implicações na saúde humana e ambiental decorrentes da presença de pombos no ambiente urbano. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento 1(2): 106-128.