09 Apr

COVID-19: prevenção e o que fazer em caso de contágio

A Sanitas preocupada com a sua saúde e bem estar e não somente em vender seus serviços , traz para você um artigo sobre um assunto não muito divulgado nos meios de comunicação e nas mídias sociais: O que fazer em casos de contágio. O assunto do momento é a prevenção. Com o pico de contágio do COVID-19, muitas pessoas serão infectadas, não resta dúvida. É importante passar para a população em geral, quais são os procedimentos que devem ser adotados caso apresente  sintomas do novo corona vírus. Importante lembrar que não se deve confundir uma gripe ou resfriado comum.

 

COVID-19: conheça os principais sintomas

A maioria das pessoas tem sintomas leves ou são assintomáticas, ou seja não apresentam sintomas. No entanto alguns casos podem evoluir para a formas graves. Os principais sintomas são respiratórios, tais como tosse e febre associados  ou não à coriza, dor de garganta e dificuldade de respirar. Em alguns casos ocorrem problemas gastrointestinais. Existe uma parte da população com maior probabilidade de desenvolver os sintomas graves da doença. No grupo de risco estão incluídas pessoas com mais de 60 anos e com doenças preexistentes como diabetes, hipertensão arterial, doenças cardíacas e pulmonares, transplantados e imunossuprimidos. 

 

Doenças respiratórias que podem ser confundidas com os sintomas do COVID-19.

No quadro abaixo são apresentados os principais  isto apresentamos um quadro abaixo com os principais sintomas do novo corona vírus, gripe e resfriado comum.  

Quadro comparativo de doenças respiratórias: gripe, resfriado e COVID-19.
Quadro comparativo de doenças respiratórias: gripe, resfriado e COVID-19.
Fonte: Ministério da Saúde. 

 

Transmissão do COVID-19

 A transmissão da doença é realizada através das gotícula de saliva. A contaminação se dá através do contato pessoal próximo,  através de tosse, espirro, projeção de secreções (escarro, catarro ou saliva), aperto de mãos ou por contato com superfícies ou objetos contaminados, seguido de contato com o rosto (mucosas da boca, nariz ou olhos).

 

Medidas de prevenção contra o COVID-19

  • Lave corretamente as mãos utilizando água e sabão. Se não for possível higienize as mãos com álcool gel ou álcool líquido 70%. 

  • Mantenha os ambientes bem ventilados

  • Evite aglomerações.

  • Mantenha uma distancia mínima de 1 a 2 m de afastamento de outras pessoas. 

  • Ao espirrar, tossir cubra a boca ou nariz com o antebraço. 

  • Evite tocar no nariz, boca e olhos. 

  • Mantenha os ambientes limpos e Sanitizados. 

 

Uso das máscaras

O mais importante é o isolamento social é higienização das mãos e dos objetos. A máscara é importante sim, mas não vai impedir que você se contamine com o COVID-19. A máscara protege o outro de não se contaminar, ou seja, impede a disseminação da doença. O maior cuidado deve estar no momento de retirar a máscara. Deve-se tomar muito cuidado nos procedimentos para a retirada e no descarte adequado da máscara evitando possíveis contaminações. 

 

O que fazer em caso de contaminação

Mesmo depois de você tomar todas as medidas se contaminar é necessário ficar atento aos sintomas. 

- Sintomas de gripe e febre baixa acompanhados ou não de dor na garganta ou coriza devem evitar as unidades de saúde (hospitais e clínicas).

- Sintomas leves da COVID-19 (febre acima de 38ºC, tosse, cansaço) devem fazer o isolamento domiciliar. 

- Quadros mais graves como dificuldade de respirar, febre alta (acima 39ºC e persistente) e mal estar excessivo, principalmente pessoas do grupo de risco devem procurar atendimento em unidades de saúde.

É importante lembrar que somente os casos graves devem procurar atendimento hospitalar. Se você estiver com uma simples gripe há uma grande chance de se contaminar pelo novo corona vírus. Ficando em casa e fazendo isolamento, isso evitará a contaminação dos outros.  

 

O que fazer quando começar a sentir os sintomas

Não existe uma medicação nem vacina eficaz comprovada cientificamente. Não compre nenhum remédio que você já não tenha tomado antes. O uso de certas medicações podem causar problemas à sua saúde e a inda prejudicar o tratamento médico de outras pessoas. 

Por tanto as recomendações são iguais aquelas que devem ser cumpridas para uma gripe comum.

1 - Em caso de febre acima de 38ºC tomar paracetamol (vide bula para peso /idade). Paracetamol é mais indicado do que ibuprofeno.

2 - Se hidrate. O vírus se aloja mais rápido em garganta seca.

3 - Fique na cama e faça repouso. Descanse pelo menos por durante 14 dias, que é o tempo de duração dos sintomas da COVID-19.  

4 - Não entre em contato com pessoas do grupo de risco

5 - Faça isolamento social e evite o contato com pessoas da mesma casa

6 - Somente se tiver febre acima de 39ºC ou tiver dificuldade de respirar, procure uma unidade de saúde. 

 

O melhor remédio para a COVID-19 é a prevenção. Siga estritamente as recomendações do Ministério da Saúde. Em caso de contágio não entre em Pânico. Apenas 5% dos casos da COVID-19 evoluem podendo levar o indivíduo à morte. Geralmente estes casos estão associados aos grupo de risco, ou seja, pessoas idosas ou com problemas de saúde pre-existentes. Somente em caso de sintomas graves a pessoa deve ser encaminhada à unidade de saúde. Em casos de dúvida ligar para o número 136 ou pelo whatsapp (61) 9938-0031. Seja solidário, não compre medicações que você não precisa use máscaras para não contaminar os outros e se puder FIQUE EM CASA! Evitando aglomerações, o contato com pessoas e objetos contaminados, conseguiremos conter a disseminação da COVID-19.

Sites consultados: https://coronavirus.saude.gov.br/

Para saber mais sobre o COVID-19 e Sanitização de ambientes acesse: https://www.sanitas.com.br/noticias/artigos/porque-e-importante-fazer-sanitizacao-de-ambientes-contra-o-corona-virus-covid-19