Moscas

 

Insetos da ordem Diptera (mesma ordem dos mosquitos), o nome da ordem vem do fato de terem duas asas. As moscas tem um papel ecológico de grande relevância atuando como decompositoras na cadeia alimentar, além de controlares de populações de outros insetos, alimentado-se de suas larvas. Algumas espécies de moscas também realizam a importante função de polinizadoras, como as espécies de Palpada sp., Eristalinus taeniops, Bactrocera.

 

Colocar imagem das moscas destes gêneros polinizando as flores.

 

As moscas têm hábito diurno e procuram locais onde existam matéria orgânica em decomposição, como o lixo, fezes e restos de animais mortos; são atraídas principalmente pelo cheiro putrefato, onde depositam os seus ovos (centenas), que eclodem dando origem as larvas que se alimentarão nestes lugares.

Moscas adultas alimentam-se matéria orgânica em decomposição ou não muitas vezes de locais contaminados e por este motivo acabam transportando em suas patas e pelos diversos micróbios e germes, como vírus, bactérias, protozoários, nematelmintos ou platelmintos (vermes). Desta forma como pousam em tudo acabam contaminando alimentos, objetos utilizados na cozinha, como pratos e talheres.

No Brasil, são espécies de importância para saúde pública a mosca comum ou mosca doméstica (Musca domestica) e a varejeira (Chrysomya megacephala).  Ao depositar seus ovos suas larvas eclodem, alimentam da ferida não tratada e exposta, tanto em humanos quanto em outros animais, causando a chamada “bicheira”.

Imagem de Musca domestica e Chrysomya megacephala

Em espécies hematófogas, os seja, que se alimentam de sangue, as larvas se desenvolvem em tecidos animais.  A mosca Dermatobia hominis, popularmente conhecida, no Brasil, como mosca-berneira, infecta diversas espécies de animais, principalmente bovinos, fazendo postura. Há também muitos relatos de postura em homens e cães. O berne é causado por uma infecção do estágio larval desta mosca. No caso destas moscas, o adulto não se alimenta.

Muito problemas ambientais causam a proliferação excessiva das moscas gerando distúrbios ambientais, podemos citar como exemplo a ineficácia no gerenciamento (coleta, transporte e disposição final) dos resíduos sólidos, ou seja, de lixo urbano e o processo acelerado de favelização que gera problemas de falta de saneamento básico para as populações mais carentes, entre outros problemas de saúde pública.  

 

Recomenda-se que o controle deva ser realizado com a finalidade de eliminar dos focos de criação, sendo medidas recomendadas, destinar adequadamente o lixo e dejetos humanos. Instalar telas nas janelas de forma a impedir a que a mosca tenha contato com os alimentos e utensílios, evitando contaminação dos mesmos. Caso a mosca entre em sua casa é importante manter os alimentos tampados e utilizar armadilhas. Cuidado ao utilizar inseticidas residuais pois eles podem causar intoxicação humana. No caso de uma grande infestação uma empresa especializada deve ser contratada.

 

Verificar com o Lao se devemos colocar imagens de produtos utilizados para matar moscas!