Conteúdo

Sanitização

Enviar por email
Imprimir
Compartilhe

Controle dos Mosquitos

Controle Integrado de Pragas – CIP

Combinação adequada dos métodos disponíveis (químicos e físicos), sendo a forma mais efetiva, econômica e segura a de manter as populações de vetores em um nível aceitável.

Manejo integrado para controle de mosquitos

  • Físico: Drenagem, remodelamento de margens de represas, saneamento ambiental, barreira vegetal etc.
  • Biológico: Facilitar a proliferação e introdução de inimigos naturais e inseticidas biológicos: Teknar;
  • Químico: Métodos químicos eficazes: inseticidas e larvicidas.
Descrição da atividade Sanitização:
  • Inspeção – Levantar o máximo possível de informações sobre o problema (grau de infestação; problemas causados; tipos de ambientes; uso que é dado a esses ambientes; extensão física da área).
  • Identificação – Identificar corretamente o agente da infestação (mosquito) e focos existentes na área.
  • Definição da estratégia – Após ter identificado qual o tipo de inseto, operador definirá a estratégia mais adequada para o controle.
EPI’s (Equipamento de proteção individual):
  • Botas de couro– Deverão ser utilizadas independentes do serviço a ser executado.
  • Luva nitrílica – Deverão ser utilizada independente do serviço a ser executado pelo operador.
  • Calça - Deverá ser utilizada independente do serviço a ser executado pelo operador.
  • Camisa - Deverá ser utilizada independente do serviço a ser executado pelo operador.
  • Protetor respiratório semi-facial (máscara) – Deverá ser utilizado em aplicações de inseticidas na formulação líquida.
  • Protetor ocular (olhos) - Deverá ser utilizado em aplicações de inseticidas na formulação líquida.
  • Abafador auricular (ouvidos) – Deverá ser utilizado, nos serviços com equipamentos que produzam ruídos acima de 85 Db(A), como exemplos Termonebulizador e Atomizador.
Apresentação do produto / Local de aplicação / Diluição recomendada/ Quantidade de aplicação / OBS. (observações):
Spray
  • Apresentação do produto: Lata de aerossol (pronto uso)
  • Local de aplicação: Ambientes fechados, protegidos de umidade, como por exemplo: Residências, salas comerciais, Escritórios, dentre outros.
  • Diluição recomendada: Pronto uso
  • Quantidade de aplicação: De acordo com o fabricante (rótulo da embalagem).
Biológico
  • Apresentação do produto: Larvicida biológico (pronto uso)
  • Local de aplicação: Pneus, garrafas, calhas de água, bromélias, poças, etc.
  • Diluição recomendada: Pronto uso
  • Quantidade de aplicação: De acordo com o fabricante (rótulo da embalagem).
Fumacê
  • Apresentação do produto: Líquido + Óleo Mineral.
  • Local de aplicação: Áreas espaçadas com grande infestação de mosquitos e onde há epidemia
  • Diluição recomendada: De acordo com o fabricante (rótulo da embalagem)
  • Quantidade de aplicação: De acordo com o fabricante (rótulo da embalagem).
  • Eliminação e afastamento dos mosquitos.
  • Equipamento: Termunebulizador ou Atomizador.
Tecnologia utilizada
  • Pulverizador
  • Atomizador
  • Pistola de aplicação
  • Termonebulizador
Tipos de pragas ou vetores / Locais propícios ao ataque :
Mosquitos

Locais propícios: Locais com acúmulo de água em pneus, garrafas, calhas, lixo, pratinho(s), bromélia, entulho, matas, grandes centros urbanos.

Técnicas de aplicação:
    • Aspersão em toda superfície com auxilio de um Pulverizador, para locais como lixeira, cantos de paredes;
    • Aplicar diretamente no ambiente de infestação da praga-alvo.
    • As aplicações utilizando o Termonebulizador e os Atomizadores serões utilizados para tratamentos espaciais.

     

     Controle espacial de mosquitos adultos

    • Termonebulização;
    • Equipamentos portáteis ou em veículos;
    • Nuvem de fumaça com gotas de 0 a 50 micra.

Endereço

Rio de Janeiro

Rua Sá Freire, 115 - São Cristóvão - Cep:20930-430 | Tel: (21)2580-8080 | Fax: (21)2589-9509