Conteúdo

Descupinização

Enviar por email
Imprimir
Compartilhe

A descupinização é realizada através da aplicação por meio de injeção, pincelamento e barreira química (tratamento do solo), utilizando cupinicida de ação rápida e eficaz.

O combate a cupins é precedido de criteriosa vistoria a fim de identificar o tipo de cupim infestante, localizar possíveis colônias e levantar outras informações que auxiliem na tomada de decisão quanto aos métodos de combate a serem adotados. As técnicas de tratamento de madeiramento fixo ou móveis são adotadas sem comprometer a estética das peças, utilizando-se produtos com mínimo cheiro. Já a proteção do imóvel é feita através de técnicas como barreira química com tratamento do solo ao redor do imóvel e aplicação de inseticida em pó em conduítes elétricos e passagens de encanamento.

Tipo de tratamento de Descupinização:

Após a identificação da espécie infestante pela nossa empresa deverá ser feita uma avaliação criteriosa da área infestada e definir quais as técnicas a serem usadas no tratamento, sendo:

Descupinização com Tratamento em madeiramento – Serão feitas perfurações estratégicas para injeção do inseticida no madeiramento. Após este procedimento, realiza-se uma pulverização externa, criando uma camada de proteção.

  • Descupinização com Barreira química – Paredes de alvenaria ou lajes de concreto são perfuradas com brocas especificas. O inseticida será injetado, impedindo a invasão e circulação dos cupins nas áreas tratadas.
  • Descupinização com Tratamento de conduítes – A aplicação será feita por meio de bloqueio com pó químico através de povilhadeiras.
  • Descupinização Localizado – Consiste em aplicar a calda cupinicida diretamente no local afetado por injeção, tratando cada ponto separadamente.

Para cada tipo de tratamento, utilizamos técnicas especiais e equipamentos apropriados, como pulverizadores de alta pressão ou agulhas injetoras. São venenos de baixo odor e de maior penetração na madeira com cupinicida de maior efeito residual choque e desalojante.

Descrição da atividade:

  • Inspeção – Levantar o máximo possível de informações sobre o problema (grau de infestação; problemas causados; tipos de ambientes; uso que é dado a esses ambientes; extensão física da área).
  • Identificação – Identificar corretamente o agente da infestação (cupins de madeira seca, cupins de solo (subterrâneo) ou cupins arbóreo(s)) e focos existentes na área.
  • Definição da estratégia – Após ter identificado qual o tipo de cupins, operador irá definir a estratégia mais adequada para o combate e controle.

EPI’S (Equipamento de proteção individual):

  • Botas – Deveram ser utilizadas independente do serviço a ser executado.
  • Luvas látex – Deveram ser utilizadas independente do serviço a ser executado pelo operador.
  • Calça - Devera ser utilizada independente do serviço a ser executado pelo operador.
  • Camisa- Devera ser utilizada independente do serviço a ser executado pelo operador.
  • Máscara facial (respirador) – Devera ser utilizada em aplicações onde são usados produtos em forma de líquido.
  • Protetor ocular (olhos) - Devera ser utilizada em aplicações onde são usados produtos em forma de líquido.

Apresentação do(s) produto(s) / Local de aplicação / Diluição recomendada / Obs. (Observações):

 

Líquido
  • Apresentação do produto: Líquido.
  • Local de aplicação: Mobiliário, alvenaria, madeiramento, etc.
  • Diluição recomendada: De acordo com o fabricante (rótulo da embalagem).
  • Obs.: Usar o EPI

 

  • Apresentação do produto: Pó.
  • Local de aplicação: Conduites e dutos elétricos e hidráulicos, árvores, etc.
  • Diluição recomendada: De acordo com o fabricante (rótulo da embalagem).
  • Obs.: Usar “sempre” o EPI ;
  • Ler e seguir corretamente o rótulo das embalagens;

Ferramenta(s) de trabalho:

  • Lanterna: Para iluminar locais escuros, para identificar possíveis sinais de cupins como caminhos, ninhos, etc.
  • Estilete: Ferramenta pontiaguda para perfurar a madeira, abrindo caminho para injeção de inseticida.
  • Chave de fenda: Para abrir espelhos de luz, caixas, etc.
  • Furadeira: Ferramenta utilizada para injeção de inseticida.
  • Pulverizador: Equipamento utilizado para realizar aspersão e injeção de inseticida.
  • Bicos injetores: São bicos utilizados para serem substituídos nos pulverizadores, onde iram propiciar melhor injeção de produtos na madeira ou na superfície a ser tratada.

Tipos de Cupins / Locais propícios ao ataque:

Cupins madeira seca

Locais propícios: Porta, portal, mesa, cadeira, etc.

Cupins subterrâneos

Locais propícios: Junta(s) de movimentação, junta(s) de dilatação, vãos estruturais, piso elevado, forros, dutos elétricos e hidráulicos, etc.

Cupins arbóreos

Locais propícios: Árvores e morros, etc.

Técnicas de aplicação:

  • Aspersão em toda superfície da madeira a ser tratada com auxilio de um Pulverizador.
  • Injetar no interior da madeira.
  • As perfurações serão feitas com uma Furadeira elétrica e o bico utilizado para efetuar a aspersão não será o mesmo da injeção.
  • Aplicação deverá ser feita próxima ao local infestado com distância mínima de 30 cm de um furo para outro.
  • Barreira Química: Isolar a área, perfurações de 30 em 30 cm aproximadamente dependendo do local, aplicação do produto com pulverizador.

Quantidade a ser aplicada:

  • Cobrir toda superfície da madeira.
  • Preencher as galerias feitas pelos cupins, até ocorre o retorno do líquido.
  • Aplicar a quantidade de 5 litros de calda por metro linear ou observar o retorno do produto atingir a base da estrutura para barreira química.
  • Aplicação de acordo com a orientação do fabricante e de acordo com o grau de infestação.

Periodicidade no controle e monitoramento:

  • Após a 1º aplicação operador deverá realizar vistorias periódicas para avaliação de uma possível reinfestação no local tratado.
  • Avaliação dos resultados e medidas preventivas.

Endereço

Rio de Janeiro

Rua Sá Freire, 115 - São Cristóvão - Cep:20930-430 | Tel: (21)2580-8080 | Fax: (21)2589-9509